Funcionários dos Correios no AM aderem à greve geral e realizam manifestação em agência

Foto: Internet

Um grupo de funcionários dos Correios se reuniu em uma manifestação, na manhã desta terça-feira (18), na frente de uma agência no Centro de Manaus. A categoria atuante no Amazonas também aderiu à greve deflagrada na noite dessa segunda-feira (17) em todo o País.

Conforme a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT), os grevistas são contra a privatização da estatal, reclamam do que chamam de “negligência com a saúde dos trabalhadores” na pandemia e pedem que direitos trabalhistas sejam garantidos.

De acordo com a vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Amazonas, Jane Neves, os funcionários tinham um Acordo Coletivo julgado pelo Tribunal Superior do Trabalho, em 2019, com vigência até 2021. Os Correios haviam recorrido ao Supremo Tribunal Federal para que o Acordo fosse de apenas um ano, e a liminar foi concedida.

“Em plena pandemia, a empresa chamou a gente e forçou a fazer uma campanha salarial para negociação. Os Correios são um serviço essencial, trabalhamos na pandemia, muitos adoeceram. Esse era um momento da empresa resguardar os funcionários e nossos direitos foram retirados”, disse.

Segundo a vice-presidente do Sindicato, o Acordo Coletivo tinha 79 cláusulas com direitos para os trabalhadores. Jane contou que 70 das cláusulas foram retiradas após a liminar.

“Nosso ticket alimentação foi reduzido, os benefícios de necessidades especiais foram cortados, licença maternidade reduzida, 70% de hora extra retirado. O presidente dos Correios ainda diz que somos privilegiados, mas isso não é privilégio”, afirmou Jane.

Ainda de acordo com ela, o Governo Federal tem o intuito de privatizar os Correios, o que também é motivo da manifestação dos trabalhadores. “A necessidade dos Correios se manter público garante quase 100 mil trabalhadores empregados e um serviço essencial para a população nos interiores, onde as empresas não chegam. A nossa logística é a única que consegue chegar aos locais”, informou.

Conforme o diretor do sindicato, Maxwell Monteiro, parte dos funcionários dos Correios no Amazonas paralisaram os serviços durante a greve iniciada nesta segunda. Com isso, o serviço dos trabalhadores dos Correios foram paralisados parcialmente no estado. Não há prazo para o fim da paralisação na estatal.