SAMU indígena completa 01 ano no Alto Solimões

Durante esse 01 ano, o DSEI informou que foram mais de 200 remoções das aldeias para atendimento de saúde nos polos ou nas cidades.

13
Imagem; divulgação

No último dia (15), o DSEI Alto Rio Solimões, comemorou um ano da implantação do SAMU da Saúde Indígena – SAMUSI.

O sistema inovador no Brasil, foi instalado no dia 15 de dezembro de 2017 e vem ajudando a melhorar a saúde indígena na região como disse em nota o Weydson Gossel Pereira, coordenador do DSEI Alto Rio Solimões: “O SAMUSI vem agilizando o atendimento no deslocamento até a cidade de Tabatinga. Há 1 ano atrás implantavamos o Pioneiro Serviço de Atendimento Móvel de Urgência da Saúde Indígena – SAMUSI.Serviço 24h disponível para os Polos Base de Belém do Solimões, Umariacu 1, 2,  Filadelfia, Feijoal, SPO Sede, Campo Alegre e Vendval.Mais de 200 remoções em 2018 sendo essas durante a noite, tarde, manhã, ou seja, a qualquer hora e em qualquer situação.”

Com sede em Tabatinga, o DSEI Alto Rio Solimões abrange 7 municípios do oeste do Estado do Amazonas, com uma população de 69.075 indígenas, de 7 etnias, distribuídos em 229 aldeias, localizadas em 32 terras indígenas. A estrutura conta com 12 polos base e uma Casa de Saúde Indígena, onde atuam 839 trabalhadores, além de 19 profissionais do Programa Mais Médicos. Entre os indicadores de saúde da população, destaca-se a cobertura vacinal de crianças menores de cinco anos, 88,6% em 2017, e a cobertura de pré-natal, de 87%, segundo dados do SIASI (Sistema de Informações da Saúde Indígena).

Por: Otambaqui.com.br