Reunião em Manaus traça diagnóstico da situação da Segurança Pública em Tabatinga

Na ocasião, o GSI apresentou os objetivos do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF).

FOTO: Divulgação/SSP-AM

Em Manaus e na região da Tríplice Fronteira, entre Brasil, Peru e Colômbia, um encontro entre as forças de Segurança estaduais e federais, junto com as Forças Armadas, traçou um diagnóstico da situação de fronteira do estado do Amazonas. A reunião foi coordenada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM), por meio do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteiras (GGI-F), e Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, e contou com representantes colombianos e peruanos.

O encontro ocorreu entre os dias 29 e 31 de outubro, inicialmente na capital amazonense e depois no município de Tabatinga (a 1.108 quilômetros de Manaus). Na ocasião, o GSI apresentou os objetivos do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), instituído em 2016, para fortalecimento, controle, prevenção, fiscalização e repressão aos delitos transnacionais.

O plano foi instituído para integrar as ações nas áreas de fronteira, com articulação da União, Forças Armadas, estados e municípios. De acordo com o secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, o combate ao narcotráfico, especialmente na fronteira do Amazonas com países vizinhos, deverá ser reforçado, e a Secretaria já deu início a ações nesse sentido.

Há projetos para criação de um batalhão de policiamento de fronteira e da instalação de uma base fluvial na região de Tefé. Além disso, a SSP prevê investimentos da ordem de R$ 20 milhões para o combate ao tráfico de drogas esse ano, com a aquisição de lanchas blindadas e de outros equipamentos de segurança.

O GSI tem participado de reuniões em todos os estados fronteiriços e, ao final, deverão ser tomadas ações coordenadas junto com as forças estaduais e municipais no combate ao crime nestas regiões.

No Amazonas, o encontro teve representantes da SSP-AM, Polícias Civil e Militar, Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), Exército, Marinha, Força Aérea Brasileira, Casa Militar, Receita Federal, Ministério Público Federal, Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Fundação Nacional do Índio (Funai), Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), GSI, e Polícia e Forças Armadas colombianas.

Por: Portal Otambaqui