Jovens atletas de Benjamin Constant (AM), são destaques na luta olímpica

250
Foto: Divulgação

No último dia 16 de fevereiro, aconteceu o Campeonato Amazonense de Luta Olímpica, na Vila Olímpica em Manus. A competição que serviu como Seletiva para o Campeonato Brasileiro e é o primeiro passo para a realização do sonho de vários atletas que se dedicaram para integrar a Seleção Júnior e Cadete.

A delegação de Benjamin Constant (a 1.119km de Manaus) chegou de barco na quinta-feira com 10 atletas, outros três vieram a Manaus por conta própria um mês antes para treinar na Vila Olímpica, um deles é Gabriel Bindá, de 17 anos, que disputou a categoria até 97kg. O jovem que até oito meses atrás lutava jiu-jitsu foi convidado para a luta olímpica. Pegou tanto gosto pela modalidade que evoluir se tornou um objetivo urgente.

“Vir para Manaus foi um plano de treino que eu tive eu e os meus parceiros que vieram também. Eu vim em busca de aperfeiçoamento de técnica até porque eu tenho poucos meses de luta e tenho que melhorar muitas coisas”, disse o adolescente que treinou com o técnico Waldeci Silva em três períodos. “Nos primeiros dias eu estranhei porque estava sem preparo, mas depois fui melhorando”, completa.

A dedicação nos treinos deu certo, ele foi ouro na categoria dele e se credencia para a competição no Rio de Janeiro. Assim, ele segue os mesmos passos dos colegas Marlessandro Maia e Alessandro Almeida, que no ano passado medalharam no Brasileiro. “Eu comecei na mesma época que eles foram para o Rio e foi uma motivação. Pensei que se eles chegaram eu poderia chegar”, explicou.

Caminho para Gabriel e outros jovens chegarem começou há pouco mais de um ano com o projeto Bom de Luta. De acordo com o professor Jhonny Franco, ele é firmado em parceria com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura que atende 250 crianças e adolescentes entre cinco e 17 anos em situação de vulnerabilidade social. “Estamos tendo um crescimento importante na cidade e o principal motivo que atrai a atenção dos jovens é a resposta que nós demos. Chegamos aqui e fomos campeões, temos o Marlessandro, que foi ouro no Brasileiro, o Alessandro, que foi bronze, então as crianças começam a sonhar em ser um campeão”, explica.

Este é o segundo estadual que Jhonny traz os alunos do projeto. “Ano passado foi a primeira vez e viemos pela experiência, esse ano, fizemos as seletivas, tivemos treinos específicos antes de vir para Manaus”.

Na delegação, há dois atletas que disputaram o Brasileiro do ano passado: Marlessandro Maia, ouro no brasileiro e Alessandro Almeida, terceiro colocado na competição nacional. Maia chegou a disputar o Pan Americano na Guatemala. Não chegou longe, mas ele diz que “foi uma experiência muito boa. Lá eu lutei com uns meninos mais desenvolvidos e evoluídos que eu, mas acho que foi uma boa experiência”, diz o lutador que se inscreveu logo que o projeto começou na cidade.

Fotos: Mauro Neto/ Texto: acritica.com