Em Tabatinga 1ª turma indígena de Agroecologia vai colar grau este mês na UEA

A turma é composta por 32 alunos da etnia Ticuna.

13
Foto: Isabella Santos

Após quatro anos do Vestibular Especial para o Curso de Tecnologia em Agroecologia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) destinado às comunidades indígenas de Umariaçu, localizadas em Tabatinga, a 1.105 km da capital Manaus, a primeira turma vai colar grau no mês de outubro, no Centro de Estudos Superiores de Tabatinga (CESTB/UEA).

A turma é composta por 32 alunos da etnia Ticuna, que utilizam os ensinamentos de sala de aula como o manejo do solo, adubação orgânica e cuidados com a floresta em seu dia a dia, aproveitando os conhecimentos tradicionais de sua comunidade.

O coordenador do curso, Fábio Bassini, ressalta as formas de conversação entre a comunidade indígena e o curso.

“A agroecologia tem um papel muito importante na academia, mas ela não sobrevive sem o conhecimento do agricultor, aquele que viveu sua vida toda no campo e teve seu conhecimento passado das antigas gerações até chegar a ele”, disse por meio da assessoria.

Outro aspecto do curso é o estudo da geografia do território indígena de Umariaçu ocupado pelos Ticunas que vivem em uma região de fronteira entre Brasil e Colômbia.

Leia mais: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2019/09/07/no-am-1a-turma-indigena-de-agroecologia-vai-colar-grau-este-mes-na-uea.ghtml