Destroços de avião são encontrados a 13,5 km do aeródromo de Tabatinga

113
Aeronave fez voo de teste no último dia 17 de dezembro, segundo o Facebook da empresa (Foto: Rodrigo Dantas /@aviacaoamazonia / Reprodução)

De acordo com o Corpo de Bombeiros, três pessoas morreram e uma foi resgatada com vida; aeronave estava com toda a documentação em dia, de acordo com a ANAC

 

Uma aeronave modelo BE-58, prefixo PT-ICU, que decolou de Tefé,  caiu a 13,5 quilômetros de distância da pista do aeródromo do município de Tabatinga. De acordo com o Corpo de Bombeiros, três pessoas morreram e uma foi resgatada com vida e transferida para um hospital de Tabatinga.

A aeronave desapareceu dos radares pouco antes das 11h30. As buscas foram feitas por aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) e aeronaves civis, mas quem encontrou o avião foram as aeronaves civis, por volta das 15h30. De acordo com o Corpo dos Bombeiros, o resgate do sobrevivente foi feito por bombeiros da Seção Contra Incêndio (SCI), que atuam no aeroporto de Tabatinga.

Uma equipe de investigadores do Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VII), sediado em Manaus, será enviada ao local do acidente para iniciar os trabalhos de investigação.

O avião desapareceu dos radares no final da manhã desta sexta-feira (23), pouco antes das 11h30. O avião decolou do município de Tefé às 10h32 e deveria chegar às 11h30 em Tabatinga, mas não pousou no aeroporto de destino.

De acordo com a Força Aérea Brasileira, um avião C-105 Amazonas e um helicóptero Black Hawk ajudaram nas buscas da aeronave, de propriedade da Parintins Taxi Aéreo e que tinha quatro passageiros a bordo.

Segundo a FAB,  o piloto fez o último contato com o controle de tráfego aéreo pouco antes do horário previsto para pouso, que era 11h30 local.

Em postagem realizada no Facebook da Parintins Taxi Aéreo, feita no último dia 17, a empresa mostra o avião decolando do Aeródromo de Flores, o Aeroclube, para um voo de teste após manutenção de rotina.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião estava com a documentação toda regular, com Certificado de Aeronavegabilidade válido até 10 de janeiro de 2019. A inspeção anual de manutenção (IAM) também estava em dia, válida até o dia 29 de janeiro do ano que vem.

Fonte: Acritica