Artesã Benjaminense participa da 16ª Mostra de Artesanato em Parintins (AM)

Durante o evento, os artesãos e grupos solidários comercializarão uma variedade de acessórios indígenas como cocares, brincos, colares, camisas, cestarias, cerâmicas, entre outros produtos regionais.

55
Foto: SETRAB

A artesã de Benjamin Constant, Elizabete Perez, da etnia ticuna da comunidade indígena de Bom Caminho, participa da Mostra de Artesanato durante o Festival folclórico de Parintins, no Amazonas.

Elizebete, foi selecionada pela Federação Estadual do Índio (FEI), SETRAEB em parceria com a Prefeitura de Benjamin Constant, para exposição e comercialização do artesanato indígena do Alto Solimões.

A 16ª Mostra de Artesanato, em Parintins, será realizada de 26 (quarta-feira) a 30 de junho (domingo), na Praça da Catedral. No evento, que funcionará das 10h às 21h, além de exposições de produtos artesanais, serão realizados os serviços de emissão e entrega de carteiras de artesãos.

Na abertura da Mostra, haverá a entrega da Carteira Nacional do Artesão para os artesãos cadastrados durante o Amazonas Presente. Serão 40 de Parintins e 25 de Barreirinha.

Em parceria com a Fundação Estadual do Índio (FEI), a exposição contará com aproximadamente 70 artesãos amazonenses, sendo que 50 participarão diretamente pela Secretaria de Estado de Trabalho (Setrab) e 20 artesãos indígenas representarão a FEI. Os artesãos são dos municípios de Parintins, Benjamin Constant, São Gabriel da Cachoeira, Barreirinha, Manaus, entre outros.

Durante o evento, os artesãos e grupos solidários comercializarão uma variedade de acessórios indígenas como cocares, brincos, colares, camisas, cestarias, cerâmicas, entre outros produtos regionais.

Visando um bom alcance de público, a secretária de Estado do Trabalho, Neila Azrak afirma que a expectativa é que mais de 7 mil pessoas visitem a exposição e que seja comercializado mais de R$ 300 mil.

“Os nossos artesãos terão a oportunidade de obter renda para o sustento de suas famílias e de promover o aquecimento da economia do município e do nosso Estado. Um evento como este é o campo de negócios para esses profissionais e eles poderão mostrar o seu trabalho, principalmente, para quem vem de fora do Brasil, irão fazer novos contatos, e, além disso, vão fazer com que nossa arte e nossa cultura sejam valorizadas”, disse Neila.